VALE DO IUIU

05.09.2010

Maria Nunes

Foto - VALE DO IUIU

Adutora do Rio São Francisco deve ficar pronta em 18 meses

O problema do desabastecimento de água em Guanambi tem gerado uma série de transtornos entre a população e um clima de incerteza. As chuvas que insistem em não cair foram decisivas para que o problema chegasse a este ponto crítico, mas para muitos esta é a crônica de uma tragédia anunciada, tendo em vista que a bacia de captação dos barramentos de atendem o município são insuficientes para atender a demanda.

Agora, a solução parece estar ao mesmo tempo próxima e distante. Próxima porque a licitação para construção da tão sonhada Adutora do Rio São Francisco já foi realizada e a empresa ganhadora, MRM Construtora, está aguardando apenas a Ordem de Serviço para dar início às obras. Parte dos canos que serão utilizados para construção da obra já chegaram a Guanambi e cidades da região, trazendo um alento para suas populações. No entanto, a solução se mostra distante, tendo em vista que a situação é crítica e necessita de uma solução imediata.

Para saber quais soluções estão sendo adotadas enquanto a Adutora do Rio São Francisco não se transforma em realidade, o Jornal Tribuna do Sertão conversou com o Gerente do Escritório da Embasa de Guanambi, Alaim Marchesini. Em conversa informal, o Gerente informou que o município já vinha enfrentando um racionamento desde 2008 e que, a partir de junho deste ano, ele teve que ser intensificado. "Dividimos a cidade em três setores para controlar a distribuição de água. A partir daí, cada consumidor recebeu um calendário informando os dias em que recebe água, o que acontece a cada dois dias". Segundo ele, estas ações já representaram uma economia de 30% em relação ao consumo que vinha sendo verificado antes da intensificação do racionamento.

"O consumo de Guanambi é de 8.400 metros cúbicos por dia. Nos bairros aonde a água não chega, a Embasa está recorrendo ao uso de carros-pipa, como é o caso da Fazenda Corredor, Bairro São Sebastião, Novo Horizonte, Boa Vista, Vomitamel, Aeroporto Velho e outros", afirmou Alaim Marchesini, que destacou ainda a situação ainda é considerada crítica, mas caso a população dê a sua parcela de contribuição, ajudando a economizar água, a previsão é que o abastecimento esteja garantido até janeiro de 2011. O Gerente destacou ainda que muitos poços artesianos estão sendo perfurados na cidade para reforçar o abastecimento em Guanambi.

A reportagem do Jornal Tribuna do Sertão esteve também no escritório da Codevasf, em Guanambi, onde conversou com o engenheiro agrônomo Dr. Raimundo Eudes Alves Camilo, que está acompanhando de perto o processo de construção da Adutora do Rio São Francisco. Segundo ele, a licitação foi vencida pelo consórcio MRM e MAF, no valor de mais de R$ 39 milhões, que beneficiará os municípios de Guanambi, Matina, Malhada, Candiba, Pindaí, Palmas de Monte Alto e Caetité.

Ainda segundo ele, cerca de 12 quilômetros de tubos já chegaram na região e estão estocados em locais estratégicos para a realização da obra. "A idéia da Codevasf é que haja um bom estoque de tubos quando a obra for iniciada, acelerando a realização do serviço. Dentro de 15 dias mais carretas deve chegar à região. Vale destacar que são tubos testados e aprovados, reforçados com fibra de vidro, com facilidade de uso por ser de ponto e rosca, com até 60 cm de diâmetro, e medidas de 6 e 12 metros", afirmou.

Fazendo uma avaliação da obra, Dr. Eudes destacou que ela é mais complicada que as obras de esgotamento sanitário que estão sendo realizadas em Guanambi e que, por esta razão, devem ser concluídas dentro de 18 meses. Ainda segundo ele, no último dia 1º de setembro o governo federal liberou R$ 32 milhões para o início das obras e o Ministério da Integração Nacional liberou R$ 10 milhões para a legalização dos terrenos.

 

COMENTE ESSA NOTÍCIA | 1 COMENTÁRIO

sandra fernandes (26.12.2010 - 03h03)

É de máxima urgência providenciarem um abastecimento de água que seja eficaz, pois, toda vez em que venho para cá nas férias é uma chateação atrás da outra por conta da falta de água. Por favor, a quem interessar possa, resolvam logo esta falta de água, pois, o calor daqui é insuportável e chuva ultimamente tem caido pouco.

Seu comentário